NELSON MELO

Na véspera do Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, a Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE/MA) realizou uma ação social em prol dos idosos no prédio do Centro Social Urbano (CSU), na Cohab-Anil 4, em São Luís. O evento aconteceu ontem (14), com oferecimento de serviços diversos, como atendimento jurídico, exames oftalmológicos e apresentações culturais.

A ação social começou às 9h, com a execução do Hino Nacional Brasileiro, tocado pela banda de música do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), com a presença do presidente da DPE, o advogado Werther de Moraes Lima Júnior, que assumiu recentemente a instituição. Ele analisou a importância do trabalho feito pela Defensoria no combate à violência contra a pessoa idosa, sendo que, de janeiro a abril deste ano, já foram comprovados, na região metropolitana de São Luís, 390 casos de maus-tratos; abusos financeiros e psicológicos; negligência e outras situações de agressividade.

Depois de seu discurso, Werther declarou oficialmente iniciado o evento, que contou com a presença não somente de idosos, como, também, de crianças, mulheres e pessoas das diversas faixas etárias. No local, conforme verificado pelo Jornal Pequeno, havia salas com prestação de serviços em saúde bucal, aferição de pressão, avaliação nutricional, orientação sobre a dengue, vacinação (tétano, influenza e hepatite) e de cuidados com a pele o cabelo. Assim como ofereceram palestras, oficinas e emissão do cartão do SUS.

Houve, também, cadastro de medula óssea, com um profissional da saúde coletando 4ml de sangue de possíveis doadores, caso sejam compatíveis. Em outro canto do prédio, a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) orientava o público sobre o cadastro para a tarifa social, direcionada a pessoas de baixa renda. Por volta das 10h, o grupo de tambor de crioula do PAI (Programa de Atenção Integrada para o Aposentado) se apresentou, sendo aplaudido pelos presentes e acompanhado de perto pelo defensor público Werther.

Segundo a coordenadora do Centro Integrado de Apoio e Prevenção à Violência contra o Idoso (Ciapvi), um setor da Defensoria Pública, Isabel Lopizic, a ação social iria terminar por volta das 14h. Ela observou que um ônibus-escritório da instituição esteve no CSU, auxiliando as pessoas acerca de dúvidas jurídicas.

VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSA

Segundo dados da Defensoria Pública, já foram comprovados 390 casos de violência contra o idoso na Grande Ilha, que inclui São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar. Os dados incluem abusos financeiros, psicológicos e negligência. Esta informação foi amplamente divulgada na abertura da Campanha de Enfrentamento da Violência contra a Pessoa Idosa 2016, ocorrida no último dia 1º e cuja programação irá se estender até o próximo dia 22 deste mês.

No entanto, a DPE recebeu neste período 949 atendimentos referentes a maus-tratos, agressividade e outros conflitos em desfavor da pessoa idosa. Os bairros da região metropolitana com maior registro de violência são Bairro de Fátima, Vila Palmeira e Monte Castelo, como Werther de Moraes citou na data da abertura da campanha. Caso alguém queira denunciar atos de violência contra o idoso, pode entrar em contato pelos telefones 3221-6110/3231-5819, que são os contatos da Defensoria Pública, localizada na Rua da Estrela, Praia Grande, nº 421, região central de São Luís, perto da Câmara Municipal.