Revolta no Hospital Nina Rodrigues

A empresa Invisa, que presta serviço para o Estado na área da Saúde, não pagou a gratificação dos coordenadores do Hospital Nina Rodrigues.

O dinheiro era para ter saído no dia 7, mas só foi pago o salário, sem a gratificação, o que provocou revolta entre os coordenadores.

Indagados sobre a razão do não pagamento da gratificação, dirigentes da Invisa justificaram que a Secretaria de Estado da Saúde havia mandado reduzir gastos.

O clima pesou no Hospital Nina Rodrigues, onde está faltando até luva de procedimento. “Nem os uniformes a empresa forneceu”, disse um funcionário, que, por motivos óbvios, prefere permanecer no anonimato. Para, em seguida, fazer uma previsão nada animadora: “Imagina no próximo mês de novembro, quando acabar o contrato da Invisa com o Estado”.

Aliança partida

A aliança que estava sendo articulada entre PSTU, PCB e PSOL para lançamento de uma candidatura única das esquerdas fracassou.

Embora as conversações ainda estejam em andamento, cada um dos três partidos deve participar da sucessão na capital maranhense com candidato próprio.

Seguindo orientação da direção nacional, o PSTU municipal, segundo o presidente Saulo Arcangeli, desistiu de compor a coligação e vai lançar a professora Claudia Durans como candidata a prefeita de São Luís. O PSOL vai com Valdenir Barros, faltando apenas o PCB anunciar o seu representante.

Ameaça à Lava Jato

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba, afirmou ser “possível e até provável” que as investigações do maior escândalo de corrupção do País acabem. “Quem conspira contra ela são pessoas que estão dentre as mais poderosas e influentes da República”, afirmou.

Dallagnol disse que as conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado com o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o ex-presidente José Sarney (AP) e o senador e ex-ministro do Planejamento Romero Jucá (RR), todos da cúpula do PMDB, expuseram uma trama para “acabar com a Lava Jato”.

“Esses planos seriam meras especulações se não tivessem sido tratados pelo presidente do Congresso Nacional”, observou o procurador.

“Governador de todos”

O governador Flávio Dino cumpriu ontem uma extensa agenda de inaugurações em Coroatá, município administrado pela prefeita Teresa Murad, esposa de Ricardo Murad e mãe da deputada Andréa Murad.

Acompanhado por uma multidão gritando seu nome e o slogan “governador de todos”, Dino entregou o 24º Batalhão de Polícia Militar, as reformas dos Centros Educacionais Francisco Gonçalves Magalhães, Clodomir Millet, José Leopodino Filho, entregou cinco motocicletas à Polícia Militar para ajudar na segurança da população, uma ala com 25 leitos no Hospital de Coroatá e o Viva Cidadão.

Espírito olímpico

O ex-deputado Domingos Dutra, pré-candidato a prefeito de Paço do Lumiar, cumpriu ontem uma maratona ao acompanhar todo o percurso da Tocha Olímpica nos Lençóis Maranhenses.

Ao ser questionado sobre o esforço olímpico, o ex-deputado, que se autointitula a simbiose de Lampião, Bin Laden e Negro Cosme, bem ao seu estilo, emendou: “vim atrás da tocha para levá-la para lumiar o paço”.

Sem futuro

A humilhante desclassificação da Seleção Brasileira para o Peru, na centenária Copa América, ainda que seja com um gol de mão, não passou despercebida do governador Flávio Dino.

Em sua página no Twitter, o chefe do Executivo maranhense fez a seguinte observação: “Dunga deveria pedir para sair. Não parece ser técnico em condições de ajudar a seleção brasileira depois do traumático 7X1 da Copa”.

Ao som de tiroteio

O secretário de Estado da Educação do Maranhão, Felipe Camarão, esteve no Rio de Janeiro, na última sexta-feira, para conhecer a escola municipal Juan Antonio Samaranch, em Santa Tereza, que, em tempo integral, ensina esportes.

Foi recebido com festa na escola, ao som de um tiroteio entre traficantes de uma comunidade próxima.

Números espantosos

Sérgio Machado detalhou o esquema de propina dos peemedebistas. Os números são espantosos.

Em uma única operação, segundo a Veja, foram pagos entre 60 e 70 milhões de reais.

José Sarney recebeu uma parte da propina por meio de doações eleitorais.

O resto foi entregue em dinheiro vivo. (Veja)

Miudinhas

• As juízas Maria José França Ribeiro (7º Juizado Cível) e Ana Célia Santana (5ª Vara Criminal) respondem, respectivamente, pelos plantões cível e criminal no Fórum Des. Sarney Costa (Calhau), de ontem (13) até domingo (19).

• Os plantões atendem os casos considerados de natureza urgente. Auxiliam os magistrados as secretárias judiciais Pryscila Boucinhas Pinto (7º Juizado Cível) e Anna Paula Cantanhede (5ª Vara Criminal). Contato: (98) 98802-7484 (Criminal) e (98) 98811-2153 (Cível).

• Portaria assinada pelo juiz Fernando Jorge Pereira, titular da Comarca de Barreirinhas, suspende o expediente forense na unidade nessa terça-feira (14).

• Segundo o documento, a medida se dá em função de feriado municipal comemorativo da “elevação do Povoado de Barreirinhas à condição de vila” e instituído na Lei Municipal nº 216, de 17 de outubro de 1981.

• Sessão solene realizada pela Câmara Municipal homenageou com o título de cidadão ludovicense os empresários Mário Cezar Caíres Rocha, Roberto de Souza Alheiros Dias e o delegado de polícia civil Almir Macedo. A iniciativa foi do vereador Edmílson Jansen.