Foto do perfil de Omar Mateen|MYSPACEFoto do perfil de Omar Mateen|MYSPACE

O grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e da Síria assumiu a autoria do massacre de Orlando, com 50 mortos e 53 feridos, por meio de dois comunicados, escritos em árabe e em inglês, divulgados por meio das redes sociais da agência de informações Amaq, que funciona na sua órbita. Tradicionalmente, e por motivos religiosos, os radicais islâmicos intensificam seus ataques no mês do Ramadã, que dura até 6 de julho. Segundo o comunicado em inglês, o ataque contra um clube de homossexuais em Orlando, Flórida, que deixou mais de 100 mortos e feridos, foi executado por um soldado do Estado Islâmico”. O comunicado em árabe seguiu a mesma linha.

O Estado Islâmico geralmente reivindica a autoria de atentados executados no ocidente com certa rapidez, inclusive os que são realizados por lobos solitários, pessoas que operam por iniciativa própria, sem coordenação com nenhuma célula, mas inspiradas pela ideologia jihadista desse grupo que controla partes da Síria e do Iraque.

O suposto autor do massacre, Omar Mateen, americano de 29 anos, ligou para o número de emergência 911, antes de começar o ataque ao clube, e proclamou sua afiliação ao ISIS, segundo fontes policiais citadas pela imprensa local americana, como a emissora de televisão NBC. A chamada foi gravada e está sendo analisada pelos agentes que tocam a investigação.