NELSON MELO

O ex-policial militar Wilame de Sousa e Rafael Fontinele, que é filho de um ex-policial civil|Fotos|DivulgaçãoO ex-policial militar Wilame de Sousa e Rafael Fontinele, que é filho de um ex-policial civil|Fotos|Divulgação

Foram autuados em flagrante ontem (9) no 5º Distrito Policial (DP), Anjo da Guarda, o ex-policial militar Wilame de Souza Belgas, de 47 anos, e Rafael Fontinele Ferraz, 28, filho de um ex-policial civil. Eles haviam sido presos no fim da tarde do dia anterior, após terem sido denunciados por extorsão a uma família, quando os suspeitos se passavam por policiais federais, subtraindo a quantia de R$ 2.300 das vítimas.

Ainda finalizando o procedimento do flagrante, o titular do 5º DP, delegado Walter Wanderley, esclareceu que, por volta das 10h40 de quarta-feira (8), um sargento do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM), de nome Jorge Benedito Pinho Sousa, bateu na porta da casa da família, na Rua da Mangueira, Vila Nova, no eixo Itaqui-Bacanga. Exibindo um brasão da Polícia Federal (PF), ele teria dito a uma mulher, com o bebê no colo, que havia várias denúncias contra o marido dela por conta de fraudes junto ao INSS.

Após a mulher subir ao segundo andar da residência, a fim de pegar a chave, outros dois suspeitos, Wilame e Rafael, entraram pelos fundos, sendo que os três iniciaram uma revista minuciosa no imóvel, sob a alegação de que pretendiam colher provas contra o marido da abordada. Como não encontraram nada que o incriminasse, relatou o delegado, o grupo exigiu ilegalmente a quantia de R$ 10 mil, para que ninguém fosse conduzido à delegacia. Ainda sem entender, a mulher disse que não tinha aquele valor, mas seguiu à casa da sogra, bem ao lado, para conseguir algum dinheiro.

Segundo Wanderley, a sogra arrecadou, com muito esforço, R$ 2.300, que foi entregue aos criminosos. Estes ainda teriam levado mais R$ 100, que estavam no carro do casal, na garagem. Em seguida, saíram como se nada tivesse acontecido. Mas, com a ajuda de um policial do Grupo de Serviço Avançado (GSA), os suspeitos foram descobertos, sendo identificados no Distrito Policial do Anjo da Guarda, por meio do delegado Walter, que mostrou fotos de possíveis autores à vítima, que reconheceu os três.

Com a identificação deles, o GSA da Diretoria de Inteligência e Assuntos Estratégicos (DIAE), com a colaboração da equipe de captura do 5º DP, localizou o ex-PM e o filho do ex-policial civil em suas residências, em bairros distintos da capital. Na casa de Rafael Fontinele, os policiais apreenderam um simulacro de arma de fogo. Mas, nos dois imóveis, recolheram carteiras de identificação da PM maranhense, em nome do conduzido Fontinele; carteiras nacionais de Habilitação (CNH) e cédulas somando R$ 170.

Bem como encontraram carteiras de identidade com nomes de possíveis vítimas do bando; passaportes em nome de Elison Gomes Freitas e Alessandra Freitas Sousa; carteiras de trabalho e muitos cartões bancários variados. Conforme o delegado Walter Wanderley, Wilame já tinha sido expulso da corporação em 2014, após escândalos referentes à extorsão. Naquele ano, também foi exonerado o policial civil de quem é filho Rafael Fontinele, pelo mesmo motivo.

Wanderley está apurando a participação do trio em outras situações, mas, por enquanto, apenas a da Vila Nova foi confirmada. O delegado, no momento, está tentando localizar o sargento Pinho, que seria preso na quarta-feira, mas conseguiu fugir antes de ser capturado.