Agronegócio

AQUILES EMIR

Estimativas para a safra agrícola deste ano divulgadas nesta quinta-feira (09) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) projetam queda na produção de grãos no Maranhão, na ordem de 37,7% e 28,9%, respectivamente. De acordo com a Conab, deverão ser colhidas no estado 2,577 milhões de toneladas contra 4,134 milhões da safra 2014/15 (1,5 milhão de toneladas a menos), e pelos números do IBGE serão 2,783 milhões de toneladas contra 3,912 milhões colhidas ano passado (1,129 milhão a menos).  Pelos números de ambos as instituições, uma das quedas mais expressivas na produção maranhense será na cultura de soja. As estimativas são muito próximas, pois seriam 1,331 milhão de toneladas, pelo IBGE, e 1,216 milhão, pela Conab.

Produção agrícola do Maranhão em queda, segundo Conab e IBGEProdução agrícola do Maranhão em queda, segundo Conab e IBGE

A estimativa da Conab é a nona para a safra 2015/16, enquanto a do IBGE, a quinta. A Conab estima que a produção brasileira será de 196,5 milhões de toneladas, o que representa uma redução de 5,4% ou 11,2 milhões de toneladas. Por sua vez, o levantamento do IBGE totalizou 195,9 milhões de toneladas, 6,5% inferior à obtida em 2015 (209,4 milhões de toneladas). Em termos absolutos são 13,5 milhões de toneladas inferiores ao obtido na safra anterior.

Produção

O resultado da produção nacional, segundo a Conab, se deve às adversidades climáticas do milho primeira e segunda safras durante o ciclo vegetativo, como estiagens prolongadas e altas temperaturas. A primeira, por exemplo, com uma produção de 26,2 milhões de t, sofreu uma queda de 3,9 milhões. Já a segunda safra, que começa a ser colhida em junho, tem previsão de 50 milhões, o que representa recuo de 4,6 milhões. No total, a produção nacional de milho deverá ser de 76,2 milhões de toneladas contra 84,6 milhões da safra 2014/15. Já a soja, responsável por 48,7% da produção nacional de grãos, mesmo afetada pelo clima registrará produção de 95,6 milhões de toneladas – 0,6% inferior à safra passada, que foi de 96,2 milhões de toneladas. Para arroz, feijão e algodão, a estimativa também é de recuo na produção total, levada a efeito pela redução na área plantada e pela estiagem ocorrida no período.

Entre as culturas de inverno, o trigo é destaque, com uma produção de 5,9 milhões de toneladas, 6,3% superior à safra anterior, que chegou a 5,5 milhões. O estudo mostra, ainda, que a área cultivada de grãos em todo o país deve chegar a 58,2 milhões de hectares, o que representa um aumento de 0,4% frente à safra 2014/15, quando foram cultivados 57,9 milhões.