Operação ‘Robauto’

Entre os presos está um investigador da Polícia Civil, lotado na Delegacia Regional do município

NELSON MELO

Uma quadrilha especializada no roubo de caminhonetes na Região Tocantina foi desarticulada pela Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira (8), em Imperatriz, município situado no oeste do Maranhão. Oito pessoas foram presas, incluindo um policial civil, identificado como Carlos José Bione Carvalho, lotado na Delegacia Regional daquela cidade. A operação ainda apreendeu drogas e munições.

Segundo relatado pelo titular da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), delegado Tiago Bardal, as detenções, que se iniciaram na madrugada, foram o resultado de um árduo trabalho de seis meses de levantamentos e monitoramentos. Resumidamente, o grupo subtraía os veículos e revendia as peças em ferros velhos e autopeças. Conforme esclareceu, a apuração contou com a participação do Núcleo de Inteligência da Secretaria estadual de Segurança Pública (SSP/MA).

Bardal contou que, durante a “Operação Robauto”, como denominaram a ação policial em referência à venda ilegal de artigos roubados e contrabandeados (como peças de automóveis desmanchadas), os investigadores procuraram em seus respectivos endereços os suspeitos, que tinham em seu desfavor mandados de prisão preventiva decretados. Ademais, as equipes também deram cumprimento a seis mandados de busca e apreensão, a fim de colher provas ou indícios que ligassem os investigados aos crimes pelos quais eram foragidos.

O policial civil Bione Carvalho e os demais suspeitos de integrarem a quadrilha especializada em roubo de caminhonetes|Fotos|Divulgação/PCO policial civil Bione Carvalho e os demais suspeitos de integrarem a quadrilha especializada em roubo de caminhonetes|Fotos|Divulgação/PC

Além do investigador Bione, a “Robauto” prendeu Dorian dos Santos Lopes, Kelton Mota Oliveira, Antônio Beno da Silva, Charles Silva Sousa, Paulo César Santos, José Ubiratan Gomes da Nóbrega e Luís Paulo dos Santos. Nas residências dos capturados, foram encontrados, em contextos específicos, quase 2 kg de cocaína pura, dinheiro falso, munições de calibres diversos, placas de veículos subtraídos pela quadrilha e apetrechos utilizados para adulterar o sinal identificador dos carros roubados.

DILIGÊNCIAS

A “Operação Robauto”, como frisado pelo delegado regional Eduardo Galvão, abrangeu, ainda, as lojas de autopeças e ferros velhos. Verificaram em uma delas ao menos três motores roubados.

Nesse caso, o dono do estabelecimento comercial foi autuado em flagrante na Regional de Imperatriz, que participou das diligências juntamente com a Seic, Polícia Rodoviária Federal e Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc).

Esta operação fora iniciada no ano passado, segundo Galvão, mas, com a morte de um dos “cabeças” da quadrilha, o “Marcelo Bigobal” – assassinado após uma briga resultante de um desentendimento na cidade imperatrizense, em uma residência –, o grupo perdeu força.

Com o passar do tempo, outros membros do bando teriam sido mortos pelos próprios comparsas, devido a discordâncias dentro da organização. Porém, os suspeitos sobreviventes continuaram agindo no município.