MANOEL SANTOS NETO

Em entrevista coletiva, o prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PDT), declarou, na tarde desta terça-feira (7), que ingressou na Justiça com uma ação contra o Governo do Estado, pleiteando que sejam concluídas, o mais rapidamente possível, as obras de construção do Hospital Regional de Santa Inês.

“Não gostaria de chegar a este ponto, mas todas as alternativas de diálogo já foram exauridas, de tal forma que estamos ingressando com um mandado de segurança, para que o governo faça funcionar este hospital, que é de uma importância vital para a nossa população”, afirmou o prefeito.

Durante a entrevista, concedida no auditório do Hotel Abbeville, em São Luís, Ribamar Alves fez um relato das enormes dificuldades que vem encontrando para obter o apoio do Governo do Estado. Em tom de desabafo, ele foi enfático ao dizer que a rede municipal de saúde de Santa Inês está sobrecarregada, e ainda assim o governador Flávio Dino tem dado demonstrações de que não pretende retomar a obra do Hospital Regional de Santa Inês.

“O que está acontecendo é algo difícil de entender. Sou aliado de primeira hora do governador, antes mesmo de ele chegar ao poder, e agora me sinto abandonado”, reclamou Ribamar Alves, dizendo que a obra do Hospital Regional de Santa Inês está há mais de 30 meses paralisada. “Nós estamos querendo tão somente sensibilizar o governador, porque o atraso desta obra penaliza a nossa gestão, e penaliza, principalmente, a população”, frisou o prefeito.

Ele explicou que ingressou na Justiça com duas ações, sendo uma por obrigação de fazer, contra o Governo do Estado por conta da paralisação das obras de conclusão do Hospital Regional, e outra pela não inclusão do município no programa “Mais Asfalto”.

Embora tenha recorrido à Justiça para garantir a continuidade da obra que, segundo ele, falta apenas 20 por cento para ser concluída, o prefeito Ribamar Alves fez questão de frisar que sua decisão não implica rompimento com o governador Flávio Dino e que visa apenas sensibilizar os órgãos constituídos do Estado para os graves problemas que está enfrentando em seu município.

“De minha parte não há qualquer tipo de rompimento. Estou aqui como representante da população que exige a conclusão do Hospital Regional e a inclusão do município no programa Mais Asfalto. Não é para confrontar o governador”, observou Alves, já adiantando que espera retomar a boa convivência com o governador, mas desde que ele cumpra o compromisso de, o quanto antes, inaugurar o hospital e leve o programa de asfaltamento para a cidade.

A inauguração do hospital estava prevista para março de 2015, no aniversário da cidade, ficou para novembro e, de acordo com Ribamar Alves, inexplicavelmente as obras foram paralisadas e sem previsão de serem reiniciadas, não lhe restando outra alternativa senão recorrer ao Judiciário para evitar que a população de Santa Inês e de toda a região continue sendo prejudicada.