LUCIENE VIEIRA

Moradores do bairro do Jaracati bloquearam o tráfego na Avenida Professor Carlos Cunha, na cabeceira da ponte Bandeira Tribuzi, no sentido Jaracati-Camboa, em São Luís, na manhã de ontem (30), e a interdição causou duas horas de caos no trânsito em várias avenidas importantes da capital maranhense.

O protesto foi pelo retorno das atividades da Unidade de Educação Básica (UEB) Pedro Marcosini Bertol, no Jaracati, que já está fechada para reforma há cerca de um ano. Os pais dos alunos reclamam que seus filhos ainda não iniciaram o período letivo.

“Tem crianças que estão sem aula desde que a escola fechou, isso há um ao”, disse Silvana Machado, mãe de aluno. Ela informou que a razão do fechamento seria uma rachadura na parede externa da escola, mas que isso não seria motivo suficiente para que o prédio fosse interditado.  “O problema da rachadura poderia ter sido resolvido apenas com uma reforma rápida na parede afetada”, disse a mãe.

Fechamento de escola no Jaracati levou pais de alunos a bloquear a Avenida Carlos Cunha|Francisco SilvaFechamento de escola no Jaracati levou pais de alunos a bloquear a Avenida Carlos Cunha|Francisco Silva

Para bloquear o trânsito, os manifestantes atearam fogo em galhos de árvores e pedaços de madeira. Como reflexo, o trânsito parou ou teve fluxo bastante lento nas avenidas Carlos Cunha (Jaracati), Jerônimo de Albuquerque (Cohafuma), Colares Moreira (Renascença), Getúlio Vargas (Monte Castelo), Marechal Castelo Branco (São Francisco) e Beira-Mar (Centro).

A Avenida Marechal Castelo Branco só foi liberada após duas horas de bloqueio (das 7h às 9h), quando o coronel Pedro Ribeiro (comandante do Policiamento Metropolitano 1) conseguiu que uma comissão de pais de alunos da escola Padre Pedro Marcosini Bertol fosse recebida na sede da Secretaria Municipal de Educação (Semed) pelo secretário Moacyr Feitosa.

Feitosa disse que até sexta-feira (3) serão formalizadas as ordens de serviço para as reformas das 11 escolas municipais que estão fechadas em São Luís, inclusive da escola do Jaracati.

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou ainda, por meio de nota, que “a UEB Pedro Marcosini Bertol é considerada prioritária dentro do cronograma de requalificação dos prédios escolares elaborado pela atual gestão”.

A Secretaria esclareceu ainda que, “visando a garantir a continuidade do ano letivo para os estudantes matriculados na referida unidade de ensino, já providenciou o remanejamento destes para outras escolas na área do centro da cidade”.

“A Semed reforça ainda que tem dialogado com a comunidade das áreas do Jaracati e da Camboa e que convidou uma comissão de pais dessas áreas para acompanhar a assinatura da ordem de serviço para a recuperação da unidade de ensino.”