Agronegócio

Foi criada semana passada, em reunião realizada na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa-Cocais), o projeto  Aliança para a Inovação Agropecuária no Brasil. O projeto contará com a  participação de entidades empresariais e de trabalhadores rurais, dentre elas a Federação de Agricultura e Pecuária do Maranhão, (Faema) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural(Senar).

No encontro, o Sistema Faema/Senar foi representado pelo seu presidente, Raimundo Coelho; o assessor técnico, César Viana; e o superintendente Luiz Figueiredo.

Reunião define estratégias para fortalecimento da agricultura pela Embrapa|DivulgaçãoReunião define estratégias para fortalecimento da agricultura pela Embrapa|Divulgação

A Aliança tem foco na área rural do Piauí e do Maranhão e visa a potencializar as exportações, manter o mercado interno, elevar o padrão de vida dos produtores e colaborar com a sustentabilidade. Objetiva ainda a construção de uma aliança para o fortalecimento  da pesquisa brasileira gerando dinâmica de inovação entre o público e o privado.

De acordo com o chefe geral da Embrapa Cocais, Valdemício  Ferreira de Sousa, a Aliança se  propõe a ampliar e  renovar as articulações buscando  soluções para o desenvolvimento da agropecuária brasileira.

“Aqui no Maranhão, nós puxamos esse termo Aliança  e trazemos para o meio-norte, (Maranhão e Piauí), no sentido de que realmente juntar as instituições parceiras, os atores que possam participar para entendermos melhor as problemáticas da pesquisa, da inovação tecnológica com referência à agropecuária e aí, buscarmos soluções”, disse ele.

Reforço

Raimundo Coelho disse que essa conjunção de forças e de recursos é importante para a consolidação de um trabalho sério que beneficie o setor rural.

“A proposta é interessante para o desenvolvimento  da área produtiva e pesquisa. O sistema Faema/Senar tem a função de buscar políticas públicas de interesse do agronegócio, e o Senar é uma entidade de transferência de conhecimento por meio de palestras, cursos e workshops. Estamos aqui para começar a articular estas entidades e para formatar este rol de estratégias de tecnologia e produção no cocais”, destacou Coelho aplaudindo o projeto.