O Governo do Estado, por meio do Detran-MA, promoveu neste domingo (29), na Avenida Litorânea, uma caminhada para marcar o encerramento do Movimento Maio Amarelo. Com o tema “Eu sou mais um por um trânsito mais humano”, a ação reuniu os parceiros da campanha: escolas, grupos de escoteiros, ONGs e os órgãos do Governo do Maranhão envolvidos no trabalho, como a Polícia Militar. Mais de mil pessoas participaram da caminhada.

A diretora geral do Detran-MA, Larissa Abdalla, fez um balanço das atividades desenvolvidas durante o mês, e aproveitou o evento para comemorar o resultado. “A campanha foi extremamente exitosa. Nós fizemos a sociedade conhecer o Maio Amarelo. Para ter uma ideia do trabalho realizado, conseguimos levar palestras para 10 mil alunos da rede pública de ensino, 32 blitz foram realizadas, 12 delas só de alcoolemia, além da iluminação de prédios públicos, e participação em eventos esportivos de mais de 110 escolas estaduais e municipais”, destacou a diretora.

Em todo o estado, 70 municípios participaram da campanha, o que permitiu que a campanha chegasse em todas as regiões do Estado. Durante o mês, o Detran-MA e parceiros  trabalharam para intensificar as ações de educação para o trânsito e fiscalização, como as operações com foco no combate à mistura de álcool e direção.

Só na capital, foram feitas 12 Operações Lei Seca, e 32 blitzen. “A Polícia Militar esteve presente nas duas frentes da campanha, a educativa e de fiscalização. Acompanhamos as atividades nas escolas, nos bares, e a Operação Lei Seca foi ampliada”, afirmou o subcomandante da PM, Cel. Jorge Luongo.

Entre os parceiros, o Grupo SOS Vidas, da Maçonaria, era um dos presentes na caminhada. Lourival Souza, coordenador das ações realizadas pela instituição, também comemorou o sucesso da campanha. “Quero parabenizar o Detran-MA, que liderou as ações do Maio Amarelo, uma iniciativa belíssima do Observatório de Segurança Viária, que se expandiu por várias partes do mundo. A violência no trânsito é uma epidemia, que mata mais que as guerras. Temos que preservar a vida”.