[email protected]

Caro Dr. Pêta;

Moro em Belém-PA. Leio diariamente o Jornal Pequeno e sua coluna, via internet. Mesmo morando em Belém, não quis me desfazer do iimóvel na Rua Maria Firmina Reis, 15, Quadra A, Bairro São Francisco-Conjunto do Basa, em São Luís. Esse imóvel não possui hidrômetro por culpa da Caema (matricula 927473), que sempre alegou a indisponibilidade de equipamento. Todavia, cobra, independente do consumo, R$ 184,00 (cento e oitenta e quatro reais), mensalmente. Trata-se de casa simples, ocupada agora por cinco pessoas, pois permanecia fechada. Mesmo assim, a taxa mensal sempre cobrada.

Visando corrigir a cobrança absurda, estivemos pessoalmente na Caema, em 14.11.2013 (protocolo 20131001419559) e em 26.12.2013 ((protocolo 20131001454735). Em ambas as reclamações, a Caema reconheceu a culpa na falta do hidrômetro e prometeu uma visita ttécnica objetivando a verificação do assunto e sua devida correção.

Até hoje a visita técnica não aconteceu, tampouco foi tomada qualquer medida, haja vista o desinteresse da Caema que não tem interesse pois permanece cobrando mensalmente um valor irreal. Também, mesmo tendo acionada, a ouvidoria @caema.ma.gov.br por duas vezes, permanece o assunto sem qualquer providência.

Não obstante, sabedor da penetração de sua coluna, mais objetiva que qualquer queixa nos Procons da vida, mesmo respaldada na Lei -8078 ((Código do Consumidor), peço-lhe noticiar o fato, buscar e ajudar em sua solução, circunstância, com certeza, surtirá o efeito desejado.

Atenciosamente,

((Evandro Rosa – Belém –PA)

Nota do editor – As cartas e e– mails endereçados ao JP e ao Dr. Pêta devem conter nome, endereço e o telefone dos respectivos autores.