O deputado Hélio Soares (PP) comunicou, na sessão desta segunda-feira (27), da tribuna da Assembleia Legislativa, que o aeroporto de Barreirinhas não entrará em funcionamento devida às irregularidades cometidas na construção da pista de pouso. Essa informação foi obtida semana passada em Belém-PA, pelo parlamentar, ao visitar o Departamento de Aviação Civil – DAC, ocasião em que foi dito que a pista foi concluída sem a orientação daquele departamento. Hélio Soares disse que ficou surpreso com a notícia, uma vez que a construção foi autorizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e de Recursos Hídricos – Sema, no governo anterior. Na época a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e de Recursos Hídricos (Sema).

“É um conjunto de erros que essa Casa tem que averiguar e responsabilizar; é um problema que nós temos que tentar resolver, porque esta Casa é a ressonância da população; é a caixa de soluções dos problemas que afligem os usuários, os nossos eleitores, a nossa população de uma maneira geral, e lá fui informado que a pista foi concluída erroneamente”, afirmou Hélio Soares.

O parlamentar lembrou que o turismo é a maior indústria de progresso econômico do Maranhão, tendo os lençóis maranhenses como referência às pessoas que visitam o Maranhão. Hélio Soares afirmou que o DAC está elaborando um relatório com as devidas sugestões. Disse que na próxima semana irá a Brasília para ver se o documento já está pronto.

“O Estado vai tentar fazer um paliativo para que não fique toda a construção daquela pista perdida. Esta Casa tem que se envolver para que nós possamos responsabilizar as pessoas que foram responsáveis pela autorização da construção do Aeroporto; um valor enorme, e ainda mais, foi feito um aditivo em cima dessa própria obra que está aí sem poder pousar ou decolar avião de qualquer porte”, afirmou o parlamentar.

O aeroporto de Barreirinhas recebe aviões de pequeno porte de forma clandestina. Os pilotos deixam os passageiros e saem logo em seguida, mas eles são multados pelos fiscais da Aeronáutica. Mas, segundo Hélio Soares, os fiscais também não têm autorização para multar os pilotos. “Esses pilotos entram na Justiça e ganham, porque eles (fiscais) também não têm autorização para multar os pousos da pista velha”.