CONEXÃO POP

Dizem por aí
Joaquim Cláudio Correia Mello Júnior (São Paulo, 16 de março de 1962), mais conhecido como Branco Mello.

È verdade
Branco Mello é um dos vocalistas da banda Titãs desde a sua formação, possui também alguns trabalhos solo. É casado com a atriz Ângela Figueiredo, com quem tem dois filhos: Bento (1991) e Joaquim (1999). É torcedor fanático da Sociedade Esportiva Palmeiras. Em 1998, Branco Mello sofreu uma cirurgia no coração para a retirada de um aneurisma na artéria aorta. O cirurgião Fábio Jatene substituiu o pedaço da artéria que se dilatou (cerca de 5 cm) e também trocou a válvula aórtica por uma prótese metálica.

O Homem Bomba
Em turnê nacional, Zeca Baleiro apresenta seu novo disco na Batuque Brasil

Algumas cidades brasileiras já tiveram a oportunidade de conferir a nova investida de Baleiro, entre as quais as da região Norte do país. Agora, é a vez de São Luís ter a chance de conhecer o “Coração do Homem-Bomba” volumes 1 e 2 – nono disco autoral do cantor maranhense Zeca Baleiro -, na Batuque Brasil, na Cohama, a partir das 22h. A abertura do show será feita pelo músico maranhense Nosly.

O novo álbum de Zeca Baleiro é dividido em dois volumes, entre baladas divertidas, pitadas de ironia e um romantismo perceptível nas entrelinhas, com arranjos bem trabalhados e uma sonoridade inovadora, marca já registrada do cantor.

Zeca mostra nas suas canções a forma de como ver o mundo; seja pela irreverência ou pela leveza, sem rancor, nem amarguras, apenas pelo prazer de fazer música de um modo bem despretensioso. Esta noite na Batuque, muitos sucessos são esperados, assim como muitas novidades serão apresentadas, como “Alma não tem cor”, regravação que foi sucesso com o grupo Karnak.

Em clima de baile, a noite do “Homem bomba” promete muita agitação e Zeca Baleiro é sinônimo de diversão e diversidade. Se quiser diversão, se garanta, porque a bomba tem a hora certa para estourar.

Parcerias ampliam produção cultural da Ufma, em 2008
A nova política cultural da Universidade Federal do Maranhão, em seu primeiro ano de implantação, alcançou mais de 95% das metas estabelecidas a curto e médio prazo. Desenvolvidos pelo Departamento de Assuntos Culturais/Proex, os festivais, projetos, programas e mostras foram realizados em parceria com o poder público, empresas particulares e com o compromisso de todos os servidores da instituição.

Coral da Ufma durante o Femaco 2008

Com patrocínio da Lei Federal de Incentivo a Cultura do Ministério da Cultura (Lei 8.313/91), a Ufma contou com as parcerias do Fundo Nacional de Cultura, Banco da Amazônia, Banco do Nordeste do Brasil, Petrobrás, Eletrobrás, Vale, governo do Maranhão, prefeituras, Quanta Cinematográfica, Consórcio de Alumínio do Maranhão (Alumar), e ainda a Central de Transplantes do Hospital Universitário Presidente Dutra.

E mais: Sebrae-MA, OCIC-Brasil, Faculdade São Luís, Comissão Maranhense de Folclore, Agência Uimar Jr. Turismo, Kinetoon, Teatro Arthur Azevedo, Teatro João do Vale, Cine Praia Grande, L’aiffa, Link Digital e Movimento Cine Digital. Graças a todas essas parcerias, as atividades culturais da Ufma foram realizadas e assistidas por um público estimado em mais de 100 mil pessoas, na capital e interior do Estado.

Interiorização – Além de São Luís, a programação cultural da Ufma, em parceria com empresas e instituições, mobilizou os moradores de Barreirinhas, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa, Arari, Caxias e Imperatriz. As mostras itinerantes apresentaram os trabalhos dos vencedores no Festival Guarnicê de Cinema, Festival de Vídeo de Bolso, Femaco, Mostra Brasileira de Humor e o Festival Curta-Lençóis.

A Ufma também deu apoio ao Festival de Música Popular do município Pinheiro (MA) e também manteve intercâmbio cultural com outros Estados e países da América e Europa.

A Graça do Rock
“Às vezes, a porrada vem e você não sabe de onde”. (Branco Mello, sobre já ter se machucado com o microfone durante shows do Titãs, no Altas Horas, da Globo, em 6/12)

Do Arco da Velha
Você se lembra?

Cogumelo Plutão

“Você é a escada da minha subida, você é o amor da minha vida; é o meu abrir de olhos no amanhecer, verdade que leva a viver”. Certamente, esse refrão deve lembrar esta música que estorou nas rádios do Brasil, em meados do ano 2000, Esperando na Janela. No entanto, muitos não lembrarão a banda que o consagrou. Não faz nem muito tempo, mas Cogumelo Plutão é daqueles casos que passam igual a um cometa, estouram na audiência, mas acabam no ostracismo. Após o estouro de Esperando na Janela, em primeiro lugar nas paradas das rádios no Brasil e tema de novela global, o CD “Biblioteca de Sonhos” chegou a vender milhares de cópias em apenas um mês de lançamento. A trilha sonora da novela “Laços de família”, na época bateu dois milhões de discos vendidos, recorde nunca antes imaginado pela Rede Globo de Televisão. Dizem por aí, que o Cogumelo prepara um novo retorno… É esperar para ver.

Fatos do dia

27 de dezembro

1927
O Partido Comunista Soviético expulsou o revolucionário russo Leon Trotski, que fora colaborador do estadista russo Vladimir Ilyich Lênin.

1939
O Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), encarregado de censurar o meios de comunicação, foi criado por Getúlio Vargas durante o Estado Novo.

1945
O Fundo Monetário Internacional, o FMI, foi criado na Conferência de Bretton Woods para assegurar o fluxo econômico mundial.

1949
A Indonésia tornou-se independente da Holanda, que tentou estabelecer domínio colonial sobre o país depois da Segunda Guerra Mundial.

1978
A Espanha passou a ter sua primeira Constituição democrática, ratificada pelo rei Juan Carlos.

1979
Para dar apoio ao novo governo pró-soviético, 75 mil soldados da União Soviética invadiram o Afeganistão.

1994
Soldados do Haiti tentaram invadir o quartel-general do Exército para exigir o pagamento de salários atrasados. Militares americanos cercaram o local e prenderam o grupo.

1994
Um garoto de 14 anos foi mordido por um tubarão na praia de Loty, entre Itanhaém e Mongaguá, no litoral de São Paulo.

1994
O especulador Naji Hahas foi condenado a pagar uma multa de 10,2 bilhões de reais por causa de articulações irregulares no mercado financeiro. Em 1989 ele quase provocou a quebra da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.

1996
Dez bebês morreram em 25 dias no Centro de Neonatologia do Hospital Geral de Fortaleza. Por causa da superlotação, faltavam médicos, equipamentos e material de higiene.