Praia – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou ontem pela primeira vez, sobre o episódio envolvendo espionagem da Kroll sobre integrantes do governo e disse estar tranqüilo em relação ao caso. Em entrevista no Palácio Presidencial de Cabo Verde, após ser condecorado com a medalha Amilcar Cabral, herói da independência do país, Lula relatou ter conversado com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, sobre a “investigação da investigação”. “Podem ficar certos de que na hora em que detectarmos, com provas concretas, investigações ilegais, as pessoas que as fizeram vão ser presas, vão ser punidas de acordo com a lei”, assegurou.

O atual ministro da Secretaria de Comunicação Social, Luiz Gushiken, também foi alvo da Kroll em 2001, ainda antes de entrar no governo. Na avaliação de Lula, a imprensa “joga” um papel importante no processo democrático do Brasil e do mundo, mas é preciso cautela para evitar julgamentos precipitados. “Nós achamos que qualquer denúncia que tenha indícios tem que ser investigada, ao mesmo tempo, nós trabalhamos com a idéia de que todas as pessoas são inocentes até que se prove o contrário”, afirmou.