Leonardo Martins Santos, fundador do Boi da Liberdade (sotaque de zabumba), morreu ontem em São Luís, aos 82 anos. Ele sofreu uma parada cárdio-respiratória, logo no início da manhã. Em razão de diversas complicações de saúde, ele estava afastado há mais de um ano do grupo que liderou durante 48 anos. De acordo com informações de familiares, o corpo de Seu Leonardo será sepultado na manhã de hoje, no Cemitério Parque Jardim da Paz, na MA-201, que dá acesso ao município de São José de Ribamar.

Logo depois da confirmação da notícia da morte do amo do Boi da Liberdade, uma grande movimentação tomou conta da residência onde Seu Leonardo morava, na Rua Alberto de Oliveira, na Liberdade. Parentes, vizinhos, amigos, artistas e intelectuais e políticos foram ao velório, prestar homenagens ao grande batalhador da cultura popular do Maranhão.

Natural de Guimarães, Leonardo Santos nasceu no dia 6 de novembro de 1921. Aos 18 anos, ele veio para São Luís na companhia de um tio. Já iniciado no bumba-meu-boi, devido à tradição de sua terra natal, ele lutou até conseguir fundar, no bairro da Liberdade, a manifestação que levou o seu nome e da qual foi amo por 48 anos.

Homem humilde, descendente de escravos que viveram na região da Baixada Maranhense, Leonardo trabalhou como estivador em São Luís, além da forte ligação que sempre teve com a cultura popular. Familiares informaram que o amo, atormentado por artrose nos joelhos, sentia muita dificuldade para caminhar. A doença o obrigou a interromper, neste ano, a sua trajetória de amo de bumba-meu-boi e, na manhã de ontem, deu fim à vida de um dos maiores representantes da cultura popular do Maranhão.